Sheba Medical Center é o décimo melhor hospital do mundo

Pelo quarto ano consecutivo, o centro médico israelense ocupa lugar de destaque na lista da Newsweek

A revista Newsweek publica, todos os anos, uma conceituada lista dos  250 melhores hospitais do mundo e, mais uma vez, o Sheba Medical Center aparece listado entre os 10 melhores.

Este é o quarto ano consecutivo onde o centro médico Sheba aparece entre os 10 melhores hospitais

Nos dois últimos anos, os centros de saúde enfrentaram um enorme desafio também quanto à pandemia da Covid-19, o que agrega, para esta atual classificação da Newsweek, um enorme valor ao Sheba Medical Center.

Fazendo a diferença

Muitos centros médicos tiveram que enfrentar este e outros desafios durante toda a pandemia, porém o que fez a diferença aos principais hospitais do mundo foi sua capacidade permanente de oferecer atendimento de alta qualidade aos pacientes e realizar pesquisas médicas fundamentais, ao mesmo tempo que mantinham seu foco na luta contra a Covid-19.


Pesquisadores do Sheba Medical Center e do Instituto Technion realizam testes de impressão 3D de uma orelha

Inovação tecnológica é a marca registrada dos avanços promovidos na atenção à saúde em Israel

Uma pequena porcentagem de bebês nasce com deformações congênitas nas orelhas, o que pode causar impacto psicológico e físico.

Até agora, os cirurgiões não podiam fazer a reconstrução das orelhas antes que a criança tivesse ao menos 10 anos de idade.

Entretanto, o Dr. Shay Itzhak Duvdevani, médico sênior do Departamento de Cirurgia de Cabeça e Pescoço da Otorrinolaringologia e chefe do Laboratório de Engenharia de Tecidos no Sheba Medical Center, está experimentando uma maneira de imprimir um material biodegradável em 3D (“scaffold”, no termo em inglês), no qual a própria cartilagem do bebê poderá se desenvolver, formando uma orelha adequada desde uma tenra idade.

Assim, além de cultivar a própria pele dos pacientes in vitro para ser enxertada no lugar da pele queimada, agora o centro médico do Sheba cultiva também outros tecidos diferenciados em laboratório, com vistas a salvar e a mudar o rumo de muitas vidas.


4ª dose triplica proteção contra Covid-19 grave em idosos, aponta estudo

Artigo Original Revista Galileu: https://revistagalileu.globo.com/Caminhos-para-o-futuro/Saude/noticia/2022/01/4-dose-triplica-protecao-contra-covid-19-grave-em-idosos-aponta-estudo.html

Resultados preliminares de pesquisa israelense indicam que o reforço ofereceu uma proteção maior também contra infecções pelo coronavírus em pessoas acima de 60 anos

Idosos com mais de 60 anos em Israel que receberam a quarta dose da vacina de Covid-19 tornaram-se três vezes mais resistentes contra casos graves da doença em comparação a pessoas da mesma faixa etária vacinadas com apenas três doses.

O resultado está em um estudo preliminar divulgado pelo Ministério de Saúde israelense neste domingo (23). A análise indicou ainda que a quarta dose duplicou a proteção contra infecções pelo coronavírus nos idosos.

A pesquisa realizada por várias instituições israelenses, incluindo o centro médico Sheba, comparou dois grupos: o primeiro composto por 400 mil pessoas com mais de 60 anos imunizadas com quatro doses e o segundo de 600 mil idosos vacinados com a terceira dose há pelo menos quatro meses.

O Ministério da Saúde de Israel enfatizou que a metodologia da análise foi semelhante a de artigos anteriores revisados por pares e publicados no jornal científico New England Journal of Medicine. Os dados da nova pesquisa ainda serão atualizados conforme novos dados ficarem disponíveis.

Segundo a agência de notícias Reuters, um outro estudo preliminar do centro médico Sheba indicou que a quarta dose aumenta a quantidade de anticorpos em relação à terceira. Porém, o aumento ainda não é suficiente para prevenir infecções pela variante de preocupação ômicron, considerada altamente transmissível.

Ainda assim, a quarta aplicação é “excelente contra as variantes Alfa e Delta”, segundo conta Gili Regev-Yochay, autora principal do estudo, ao site The Times Of Israel. Ela defende que o mais novo reforço é uma boa ideia para proteger aqueles que correm maior risco, mas que talvez a campanha de vacinação em Israel deva ser alterada para incluir pessoas ainda mais velhas.

Desde o início deste mês, o país do Oriente Médio tem vacinado os idosos com mais de 60 anos com a quarta dose da vacina Pfizer/BioNtech. Com a explosão de casos da ômicron em novembro de 2021, viagens internacionais foram rapidamente restringidas e o rastreamento de casos ficou mais rigoroso.


2021: Um ano de conquistas contínuas

Caros amigos,

Este ano de 2021 foi extraordinário para o Sheba Medical Center por diversos acontecimentos. Se tivéssemos que resumir todas as nossas realizações nos últimos 12 meses, poderíamos escrever um livro de recordes! Fique atento que, durante as próximas semanas, traremos alguns dos destaques de nossas principais realizações.

  1. RECONHECIMENTO PELA REVISTA NEWSWEEK - Pelo terceiro ano consecutivo – um fato sem precedentes -, Sheba foi eleito um dos "10 melhores hospitais do mundo" pela renomada revista. Nenhum outro hospital do Oriente Médio conquistou esse tipo de reconhecimento. Além disso, a Newsweek classificou o Sheba como "Melhor Hospital Especializado do Mundo" e "Melhor Hospital Inteligente do Mundo".
  2.  LÍDER NO COMBATE AO CORONAVÍRUS: Enquanto a pandemia continua a desafiar hospitais em todo o mundo, o Sheba Medical Center tem sido capaz de liderar a orquestração de diferentes iniciativas. No ano passado, o Sheba foi pioneiro em vacinar cidadãos imunodeprimidos com a terceira dose da vacina da Pfizer, sendo também “a primeira no mundo” a dar a terceira dose de reforço tanto às equipes médicas como aos cidadãos em geral. Além disso, o Primeiro Ministro de Israel, Naftali Bennett, endossou a iniciativa "Sala de Aula Verde" da pesquisadora do Sheba e professora de renomadas universidades, dra. Gili Regev-Yochay, que desempenhou um papel vital em manter as escolas de ensino fundamental e os jardins de infância abertos, mesmo durante uma onda da doença. E, enquanto você lê isto, Sheba conduzirá um quarto programa de pesquisa de vacinação, o primeiro desse tipo no mundo, liderado pela professora Yochay.
  3. ACORDOS DE ABRAÃO 1- No último ano, Sheba acelerou suas atividades nos Emirados Árabes Unidos, com médicos de nossa equipe oferecendo serviços virtuais e presenciais para diferentes hospitais em Dubai e Abu Dhabi. Também pela primeira vez, um médico israelense sênior esteve na cidade de Ras al-Khaimah, onde nosso principal especialista em reabilitação, Prof. Israel Dudkiewicz, cuidou de pacientes e capacitou médicos nos Emirados. Sheba também participou do primeiro transplante de rim entre terceiros - doadores e pacientes israelenses-judeus e árabes-muçulmanos compatíveis. Os rins foram transportados entre Abu Dhabi e Tel Aviv em um jato particular.
  4. ACORDOS DE ABRAÃO 2- Yoel Har-Even, Diretor do Sheba Global, participou de uma cerimônia inspiradora em Manama, capital do Bahrein, com o Ministro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, onde Sheba assinou um acordo com o Salmaniya Medical Complex, maior hospital governamental do Bahrein. Em seguida, Sheba assinou acordos com outros hospitais públicos e privados para fornecer uma ampla variedade de serviços, desde treinamento local e atendimento ao paciente, até inovações médicas revolucionárias. Sheba rapidamente se tornou o principal suporte de saúde de Israel na região do Golfo.

SHEBA INDO ALÉM: Uma das ferramentas que Sheba está usando para acelerar a saúde de alta qualidade no Golfo e no mundo em geral é sua plataforma de telemedicina 'hospital virtual', que oferece alguns dos serviços de última geração através da integração de diferentes tecnologias inovadoras, formatadas para cada hospital ou sistema de saúde e seus pacientes.

Tenha uma semana saudável!


Sheba Medical Center realiza procedimento inovador para o tratamento de epilepsia

Em um procedimento de última geração, uma bomba para injeção de medicamentos diretamente no cérebro foi implantada em um paciente no Sheba, em Israel. Este tratamento, cuja droga foi desenvolvida nos EUA, é visto como um grande avanço e, até hoje, foi realizado em apenas cinco portadores dessa doença do sistema nervoso central em todo o mundo.

Um paciente com epilepsia, que não respondeu a nenhum tratamento medicamentoso ou cirúrgico, passou por um procedimento inovador na semana passada, visando prevenir convulsões causadas por esse distúrbio pela primeira vez em Israel.

O procedimento de última geração ocorreu no Sheba Medical Center, onde os cirurgiões implantaram uma bomba que vai injetar uma droga especial diretamente no cérebro do paciente. Este medicamento foi desenvolvido nos Estados Unidos após muitos anos de pesquisas e experimentos clínicos.

Cateter Especial

O chefe da Neurocirurgia Funcional e Estereotáxica e Ultrassom Focado do Sheba Medical Center, Dr. Zion Zably, que realizou o procedimento, disse que "um cateter especial foi implantado no cérebro do paciente, conectado a uma bomba implantada no abdômen do paciente com o medicamento”. O cateter é inserido em uma área específica do cérebro, permitindo que a droga se espalhe pelas meninges do cérebro, resultando em uma redução dramática da frequência de convulsões.

 "O paciente não havia respondido a nenhum tratamento, cirúrgico ou não, e havíamos ficado sem opção", disse o Diretor do Serviço de Epilepsia e Eletroencafalograma (EEG) e Vice-Diretor do Departamento de Neurologia do Sheba, Prof. Nicola Maggio.

Tratamento direito no cérebro

"Este procedimento inovador traz mudanças fundamentais na forma como a epilepsia é tratada em dois aspectos", disse Maggio. "Se o problema está no cérebro, o tratamento medicamentoso deve ser administrado diretamente no cérebro e não pela boca. Quando passa pelo sistema digestivo, uma dose reduzida [do tratamento] chega ao cérebro. A bomba de transplante e o cateter, em conjunto, nos permite fornecer uma concentração estável da droga ao cérebro", disse Maggio.

"Esta inovação nos permite manter o cérebro intacto e poupar o paciente das consequências funcionais e cognitivas da remoção de parte do cérebro", disse o Prof. Maggio referindo-se às opções de tratamento disponíveis.

De acordo com ele, outros candidatos serão submetidos à este procedimento, após terem sofrido uma alta taxa de convulsões que afetaram sua qualidade de vida e que causam frequentes lesões.

O diretor do Hopital de Reabilitação Conjunta do Sheba Medical Center, dr. Amitai Ziv, disse que o novo tratamento é um avanço no tratamento da epilepsia. "Essa inovação nos ajudará a tratar outras doenças do sistema nervoso central que, até agora, não tinham tratamento adequado no mundo da medicina."

 

Por Rina Drigov – YnetNews

https://www.ynetnews.com/health_science/article/rjd1pboot


Sheba Medical Center lança game para combater a obesidade infantil

Para motivar as crianças a serem mais saudáveis e ativas, o aplicativo funciona em conjunto com um smartwatch que monitora sono, frequência cardíaca e atividade física.

O número de crianças com sobrepeso ou obesidade, que tem aumentado de maneira constante nos últimos anos, atingiu níveis sem precedentes durante a pandemia, de acordo com os novos dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças de vários países. A partir dessa constatação, o Sheba Medical Center lançou um aplicativo para celular baseado em jogos, com a finalidade de ajudar crianças com sobrepeso e obesas a terem um estilo de vida mais saudável.

Liderado pelo professor Gal Dubnov-Raz, diretor de Medicina do Exercício e do Esporte do Sheba, junto com a equipe de Telemedicina do ARC Innovation Center do Sheba, o programa foi desenvolvido em colaboração com a startup israelense UVTAL Health, criadora do Rumble - um aplicativo popular em Israel de bem-estar e saúde, com lançamento previsto para a América do Norte no final de 2021.

Monitoramento remoto

Combinando monitoramento remoto e suporte profissional de saúde prestado pela equipe médica a uma plataforma envolvente, crianças e jovens a partir de 10 anos aprendem a adotar hábitos saudáveis por meio de psicologia positiva, competição e jogos.

“A obesidade é a doença crônica mais comum entre as crianças em todo o mundo, inclusive em Israel. A pandemia da COVID-19, que forçou as crianças a permanecer em suas casas e as impediu de praticar exercícios ao ar livre durante semanas, apenas agravou o problema”, disse Dubnov-Raz. “Especialmente nestes tempos desafiadores, que exigem distanciamento social como medida de segurança, tecnologias como a do aplicativo Rumble podem ser aproveitadas para apoiar as equipes médicas e, ao mesmo tempo, aumentar a quantidade de atividade física praticada pelas crianças, que é tão crucial para o seu futuro”.

Para motivar as crianças a serem mais saudáveis e ativas, o aplicativo funciona em conjunto com um relógio inteligente que monitora sono, frequência cardíaca e atividade física. Quanto mais ações que promovem um estilo de vida saudável forem praticadas, mais “moedas de saúde” digitais elas ganham.

Essas moedas são conquistadas por meio do acúmulo diário de passos, da participação em treinamentos, da leitura e da visualização de conteúdos que preconizam um estilo de vida saudável, além do preenchimento de questionários personalizados. Prêmios relacionados ao estilo de vida saudável, como equipamentos de ginástica, podem ser adquiridos com as moedas obtidas no aplicativo.

Comparação com pares

Além disso, cada criança pode ver quão ativa ela é em comparação com seus pares, a partir de um grupo selecionado de pacientes, a fim de promover desejo de sucesso através da competição social saudável.

Ao longo de sua participação no programa, as crianças são acompanhadas por uma equipe de especialistas da Clínica de Esportes Pediátricos e Estilo de Vida Saudável do Sheba Medical Center. Um pediatra especialista em medicina esportiva, um nutricionista pediátrico e esportivo, um fisiologista do exercício infantil e um psicólogo esportivo colaboram no acompanhamento, aconselhamento e incentivo às crianças.

“Esta tecnologia tem uma grande vantagem – soluciona problemas que a medicina convencional nem sempre tem as ferramentas para resolver”, explicou Iris Shtein, codiretora do Centro de Inovação em Telemedicina no ARC Innovation, do Sheba Medical Center. “A incorporação da gamificação consegue manter as crianças conectadas e engajadas por muito mais tempo. O sucesso desta cooperação tem o potencial de atingir um grande mercado internacional e causar impacto global, não apenas nas crianças e jovens, mas em todas as faixas etárias.”

“A chave para o sucesso do programa é que ele é divertido”, disse Dubnov-Raz. “A equipe médica e a tecnologia são o ponto de partida, mas o aplicativo Rumble traz o elemento da brincadeira, mantendo as crianças ativas e saudáveis.”


Newsweek 2021: Sheba Medical entre os 10 melhores hospitais do mundo

Pelo terceiro ano consecutivo, o Sheba Medical Center foi reconhecido entre os 10 melhores centros médicos do mundo pela prestigiosa revista Newsweek no ano 2021.
A qualidade dos seus serviços, a poderosa estrutura de pesquisa e o alto nível dos profissionais que o prestam neste hospital, são para nosso orgulho, o melhor testemunho do maravilhoso trabalho realizado por este centro.
Estar no mesmo grupo que a Mayo Clinic, Cleveland Clinic e os hospitais de Massachusetts e Toronto, é um orgulho não só para o Estado de Israel, mas também para o povo judeu.